Motorista de app é bloqueado após negar sexo oral de cliente

Um motorista de aplicativo teve a conta bloqueada após recusar favores sexuais a um passageiro como forma de pagamento. O caso foi confirmado ao UOL Carros pela Associação de Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Amasp).

Segundo a Amasp, o passageiro ainda ofereceu R$ 50 em troca de o motorista urinar durante a relação sexual. A conversa entre os dois foi gravada pelo chat do próprio aplicativo.

“As empresas excluem o motorista automaticamente, que fica sem saber do motivo para a sua exclusão. Em cidades como São Paulo, Campinas e Atibaia, existem leis municipais que dão direito de defesa para o motorista. Em caso de exclusão, a empresa tem que abrir um link para esse motorista e informar o motivo. Assim, o motorista pode montar a sua defesa e a análise durará sete dias ao todo. O problema é que a situação que levou à exclusão nunca chega ao motorista de forma tão explícita e específica”, disse Eduardo Lima, presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo de São Paulo (Amasp).