Projeto Mirante e Largo da Ilha de São Vicente da Prefeitura de Manaus entra na fase de licenciamento com Ipaam

Com projeto de reuso e reabilitação que prevê a transformação de um prédio abandonado em uma área de lazer vertical inédita na capital, a Prefeitura de Manaus segue consolidando os projetos de requalificação para o programa “Nosso Centro”, que faz parte da gestão do prefeito David Almeida.

O Mirante e Largo da Ilha de São Vicente, no Centro Histórico de Manaus, estão na fase de licenciamento junto ao Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) para aprovação do projeto de reuso do imóvel localizado na avenida 7 de Setembro, nº 50, com área de 1.894 metros quadrados, na antiga sede da Companhia Energética do Amazonas (Ceam).

O edifício que terá uso de entretenimento, lazer, contemplação e negócios às margens do rio Negro, na Ilha de São Vicente, tem recursos da prefeitura e já foi aprovado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan-AM), em razão de estar em área protegida pela instância federal, mas não é considerado uma unidade histórica.

O “Nosso Centro” faz parte do plano de crescimento econômico e social “Mais Manaus”, lançado pelo prefeito David Almeida ano passado. “Ao planejar cidades, criar habitações, reabilitar espaços com precariedade urbana e abandono, se busca, com o suporte da arquitetura, tecnologia, meio ambiente e do urbanismo, melhorar formas de viver, ocupar e agir diretamente na cidade e com a sociedade, mudando dinâmicas da vida cotidiana”, explicou o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Carlos Valente.

A previsão da Prefeitura de Manaus é de ter a obra concluída em 2023. O memorial descritivo do Largo e Mirante apresenta detalhamento para fornecer o entendimento do conceito arquitetônico e de vários usos que passarão a existir no espaço, além de destacar a importância da intervenção como polo dinamizador para a região central.

Como é um grande equipamento urbano, ele foi projetado para abrigar várias ações de cultura, lazer, gastronomia, negócios e muito mais, tendo como fundo a vista do rio Negro.